Sérgio Godinho — 2º Andar, Direito song lyrics and translation

The page contains the lyrics and English translation of the song "2º Andar, Direito" by Sérgio Godinho.

Lyrics

Ele vinte anos, e ela dezoito
E há cinco dias sem trocarem palavra
Lembrando as zangas que um só beijo curava
E esta história começa no instante
Em que o homem empurra a porta pesada
E entra no quarto onde a mulher está deitada
A dormir de um sono ligeiro
E no quarto, às cegas
O escuro abraça-o como que a um companheiro
Que se conhece pelo tocar e pelo cheiro
E é o ruído que o chão faz que lhe traz
O gosto ao quarto depois de uma ruptura
Faz-lhe sentir que entre os dois algo ainda dura
Dos dias em que um beijo bastava
E agora, da cama
Vem uma voz que diz sussurrando: És tu?
E a luz acende-se sobre um braço nu
E a mulher pergunta: a que vens agora?
É que não sei se reparaste na hora
Deixa dormir quem quer dormir, vai-te embora
Amanhã tenho de ir trabalhar
Não fales, que o bebé ainda acorda
Não grites, que o vizinho ainda acorda
E não me olhes, que o amor ainda acorda
Deixa-o dormir o nosso amor, um bocadinho mais
Deixa-o dormir, que viveu dias tão brutais
E o homem, de pé
Parece um rapazinho a ver se compreende
E grita e diz que ele também não se vende
Que quer a paz mas de outra maneira
E nem que essa noite fosse a derradeira
Veio afirmar quer ela queira ou não queira
Que os dois ainda têm muito a aprender
Se temos!!! Diz ela
Mas o problema não é só de aprender
É saber a partir daí que fazer
E o homem diz: que queres que responda?
Não estamos no mesmo comprimento de onda…
Tu a mandares-me esse sorriso à Gioconda
E eu com ar de filme americano
Somos tão novos, diz o homem
E agora é a vez de a mulher se impacientar
Essa frase já começa a tresandar
É que não é só uma questão de idade
O amor não é o bilhete de identidade
É eu ou tu, seja quem for, ter vontade
De mudar e deixar mudar
Não fales, que o bebé ainda acorda
Não grites, que o vizinho ainda acorda
E não me olhes, que o amor ainda acorda
Deixa-o dormir o nosso amor, um bocadinho mais
Deixa-o dormir, que viveu dias tão brutais
E assim se ouviu
Pela noite fora os dois amantes falar
E o que não vi só tive de imaginar
É preciso explicar que sou o vizinho
E à noite vivo neste quarto sozinho
Corpo cansado e cabeça em desalinho
E o prédio inteiro nos meus ouvidos
Veio a manhã e diziam
Telefona ao teu patrão, diz que hoje não vais
Que viveste uns dias assim tão brutais
E que precisas de convalescença
Sei lá, inventa qualquer coisa, uma doença
Mete um atestado ou pede licença
Sem prazo nem vencimento, se preciso for
(espero que não seja preciso, porque não
Sei como é que eles vão viver sem os
Dois salários…)
Vá fala que o bebé está acordado
E o vizinho deve estar já acordado
E o amor, pronto, também está acordado
Mas tem cuidado, trata-o bem
Muito bem, de mansinho
Que ainda agora vai pisar outro caminho

Lyrics translation

He twenty years, and she eighteen
And they haven't spoken for five days.
Remembering the anger that one kiss healed
And this story begins instantly
In which the man pushes the heavy door
And enters the room where the woman is lying
Sleeping from a light sleep
And in the bedroom, blindly
The dark hugs him like that to a mate
Who is known by touch and smell
And it's the noise the floor makes that brings you
The taste to the room after a break
It makes you feel that between the two something still lasts
Of the days when a kiss was enough
And now, from the bed
Comes a voice that says whispering: Is it you?
And the light goes on on a bare arm
And the woman asks: What are you coming to now?
I just don't know if you noticed just in time.
Let Sleep who wants to sleep, go away
I have to go to work tomorrow
Don't talk, the baby's still awake
Do not shout, that the neighbor still wakes up
And don't look at me, that love still wakes up
Let him sleep our love, a little more
Let him sleep, who lived such brutal days
And the man, standing
He looks like a little boy to see if he understands.
And he yells and says he doesn't sell himself either
Who wants peace but otherwise
And even if tonight was the last
She came to say whether she wants it or not
That the two still have a lot to learn
If we do!!! She says
But the problem is not just learning
Is to know from there what to do
And the man says: What do you want me to answer?
We are not on the same wavelength…
You sending me that smile to Gioconda
And I look like an American movie
We are so young, says the man
And now it's the woman's turn to get impatient
That phrase is already beginning to stutter
It's not just a matter of age
Love is not the identity card
It's me or you, whoever it is, who wants to
To change and let change
Don't talk, the baby's still awake
Do not shout, that the neighbor still wakes up
And don't look at me, that love still wakes up
Let him sleep our love, a little more
Let him sleep, who lived such brutal days
And so it was heard
By the night out the two lovers talk
And what I didn't see I just had to imagine
You have to explain that I'm the neighbor
And at night I live in this room alone
Tired body and head in disarray
And the whole building in my ears
The morning came and they said
Call your boss, tell him you're not going today.
That you lived such brutal days
And that you need convalescence
I don't know, invent something, a disease.
Put in a certificate or ask for a license
No deadline or expiration, if need be
(I hope it's not accurate, why not
I know how they'll live without them.
Two salaries…)
Go on, say the baby's awake.
And the neighbor must be already awake
And love, Ready, is also awake
But be careful, treat him well
All right, gently.
That even now will tread another path